sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

RESPOSTA AO TEMPO


DELÍRIOS DE UMA INSANA EM SEU INFERNO-ASTRAL...

Batidas na porta da frente
É o tempo
Eu bebo um pouquinho
Prá ter argumento

Mas fico sem jeito
Calado, ele ri
Ele zomba
Do quanto eu chorei
Porque sabe passar
E eu não sei

Num dia azul de verão
Sinto o vento
Há fôlhas no meu coração
É o tempo

Recordo um amor que perdi
Ele ri
Diz que somos iguais
Se eu notei
Pois não sabe ficar
E eu também não sei

E gira em volta de mim
Sussurra que apaga os caminhos
Que amores terminam no escuro
Sozinhos

Respondo que ele aprisiona
Eu liberto
Que ele adormece as paixões
Eu desperto

E o tempo se rói
Com inveja de mim
Me vigia querendo aprender
Como eu morro de amor
Prá tentar reviver

No fundo é uma eterna criança
Que não soube amadurecer
Eu posso, ele não vai poder
Me esquecer


BY NANA

5 comentários:

Nany C. disse...

A primmeira vez que ouvi essa música senti uma coisa rebulir por dentro...

Sabe Nega, existem letras que quando chegam na gente mexem lá no fundo e fazem aflorar o melhor e o pior de nós... Mostra o que os olhos muitas vezes não podem ver... São sentimentos guardados, lembranças de amor e restos de paixão...
Desejos e prazeres que pendem no coração e na alma da gente...

Eu logo,logo entro no meu 'inferno astral'... e vou deixá-lo queimar...numa quarta-feira de cinzas... (rsrs)

Linda escolha... (a voz da Nana é uma coisa não?!...)

Marília_dosAnjos disse...

Amo essa música! Simplesmente a Nana arrasa!

Boa escolha.
Beijos :****

L'amant disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
XICO CRUZ disse...

uaaaauuuuu, seu blog é picante, lindo, que delicia... adorei nega, brigado por ter visitado o meu.
beijos do menino da lua, xico cruz.

Crys disse...

Adoro Nana, e adorei seu blog...bjs